É Natal, É Natal!

Sei que estou com algum atraso neste post, mas não queria deixar de partilhar com todos o que me vai na alma relativamente à questão dos presentes de Natal, a que a época obrigatoriamente remete (mais uma normativa adquirida pela evolução dos tempos), para crianças.

Nesta época, e na minha perspectiva, deveria ser mais enfatizado o dar e não tanto o receber. E dar seria completo no seu propósito e verdadeiro significado, ou seja, sem esperar nada em troca. Dar para receber a maior dádiva de todas, o sentimento de bondade, de alegria , de esperança… (palavras tão interligadas à época natalícia) que só esse acto permite receber. Este deveria ser realmente o verdadeiro sentido, e o que deveria ser passado às nossas crias desde a sua mais tenra idade.

No entanto, e uma vez que esta prática estará esquecida, totalmente desvalorizada e mesmo descontextualizada deste mundo que o homem constrúiu, o que se faz nesta linda época do ano é comprar presentes, que são apresentados pela indústria da bonecada, para aumentar em doses absolutamente palermas o “entulho de plástico” que se vai acumulando pelos lares de Portugal.  Há então que gastar quantias absurdas (sim, porque este “entulho” não fica nada em conta) em artigos que foram feitos e pensados para os pais das crianças comprarem e não para a criança propriamente dita.

Eu explico. Parece-vos apropriado que a pequenada use maquilhagem, tacões, cenas estranhas penduradas no cabelo, unhas pintadas…? A mim, isso parece-me coisa de adulto. Porque é que estas indústrias de bonecos e coisas infantis, “querem” que pequenas crianças se pareçam com a imagem adulta? E o tempo de se ser criança? E o tempo de se trepar às árvores, de cair, de sujar as mãos, brincar com um pau , um simples pau, que pode ser uma boneca, um pirata, um animal, e mil e uma coisas mais? Ser adulto? As crianças não são matéria estanque, elas crescerão e se tornarão adultos, não há nenhuma necessidade de se criar imagens para os pequenos começarem a parecer (que depois se transforma no querer) adultos. Vamos então ser conscientes e ajudar estes pequenos de hoje a crescer seguros e plenos de oportunidade de se experimentarem na vida, essencialmente, nas suas brincadeiras, que é a sua principal actividade na infância.

Não se permitam  ficar em filas tempos infinitos,  escolher em catálogos o que vos mostram ser indicado para os vossos filhos,  gastar dinheiro em futilidades que em nada contribuem para a verdadeira felicidade das crianças. Já que não temos enraizado na sociedade o “culto” de dar no Natal, tenhamos então, sentido reflexivo na compra do que queremos que sejam os instrumentos nas brincadeiras e construções dos pequenos. Podemos encontrar, em brinquedos simples (sem luzes, músicas terríveis, e plásticos de cores demasiado intensas) uma boa forma de contribuir para o bem estar e saudável crescimento dos nossos pequenos seres, dando assim a possibilidade da descoberta, a liberdade da emoção, a escolha de movimento, a alternativa sonora, aquelas entidades que realmente devem ter este papel, a criatividade, a fantasia, a imaginação do ser humano. É isto que estamos a bloquear, a atrofiar, quando enchemos os quartos dos miúdos com informação a mais contida em brinquedos sintéticos e irrelevantes, que por outro lado cultivam a imagem adulta, as princesas, os heróis, gerando verdadeiras formas de auto insatisfação que culminam em fenómenos como o consumismo, para além dos danos internos causados.

Espero que tenhamos cada vez mais este sentido reflexivo bem presente nas nossas escolhas, sempre contribuindo para um mundo melhor, com pessoas felizes.

Deixo uns links que poderão ajudar na realização de escolhas mais conscientes, seguindo a lógica das escolhas no comércio local, ajudando assim a nossa comunidade mais próxima (act local, think global) :

https://www.facebook.com/brincadeiraviva.brinquedoswaldorf/?ref=ts&fref=ts

http://folhetos.lidl.pt/a7bcfece-6c51-49ed-a7d9-e46136e7c655/html5.html#/1

https://www.facebook.com/Manitas-de-Luz-887146761311873/about/

https://www.facebook.com/loja.cristina.siopa?fref=ts

Um abraço em todos!

Feliz Natal!

Lídia


One thought on “É Natal, É Natal!

  1. Adorei Lídia.
    Tenho seguido os teus posts em silêncio… Mas este não poderia deixar de comentar.
    O meu rebento ( Francisco)tem a grande oportunidade de crescer como nós crescemos. A sujar toda a roupa com terra a brincar com os “cocóros”, “quá quá”,”glu glus”, “ronnnronnnc”,” muuuusss” e “mémés”!!! A quem.diz que a nossa infância deixou de existir… Discordo!!
    Numa Vila, aldeia ou lugar conseguimos encontrar tudo isso
    É não se enganem pq não crescem “atrasados” ou ignorantes… Isso depende de nós, Pais!

    Beijinhos Lídia e gostava que trouxesses a tua cria aqui ao campo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s