O que faço para ser mais criativa?

Estive na última semana com o que gosto de apelidar de impasse criativo. Detesto sentir-me assim, aliás tenho um certo medo quando isto acontece. Das coisas que mais gosto é de estar sempre a ter ideias, a magicar, a inventar.

Ainda que parte delas não as consiga pôr em prática, por falta de tempo, por não ser a altura ideal, por ser irrealista, etc. Mas o processo criativo, a construção da ideia, do projecto, do texto, da comida, do que for, faz-me sentir viva.

Normalmente não preciso de grandes estímulos, basta acordar de manhã, para a minha mente me bombardear com sugestões. É por isso que a meditação também tem um impacto enorme para silenciar este turbilhão, mas isso fica para outro post.

No entanto, há momentos em que parece que fica um silêncio mental e a criatividade fica engasgada, como se se quisesse manifestar mas não tivesse como. Como se fosse um carro a tentar andar mas sem gasolina.

Para esses dias, preciso de uma solução, porque senão a única coisa que faço é andar de um lado para o outro da casa ou do escritório, enquanto penso, porque é que não tenho ideias?

Então o que faço é…

Vou andar, sem destino, sem tempo definido. Andar, andar e andar. Normalmente ao fim de 20 minutos começo a ter insights sobre o porquê do meu bloqueio e começo a ter ideias.

Ouvir música, mas não é uma música qualquer, são músicas que sei que despertam o meu lado emocional. E sabemos que as emoções são óptimas aliadas dos processos criativos.

Vejo um TED talk, sobre temas que não têm nada a ver com a minha área, sobre temas que normalmente não pesquisaria. Porque me estimulam a pensar fora da caixa.

Fico sozinha, durante o tempo que for preciso até conseguir desbloquear. Sem querer, as pessoas que estão à nossa volta acabam por exercer influência em nós e parte dessa influência faz-nos afastar do que é o nosso foco, do que queremos fazer, dizer ou pensar.

E nos dias em que nada disto resulta, lembro-me que amanhã será outro dia, de certeza melhor.


6 thoughts on “O que faço para ser mais criativa?

  1. A partir do momento em que aceitar que tudo tem uma razão de ser, que o “vazio de ideias” é uma espécie de descanso do seu cérebro e sensibilidade, esses momentos também são importantes e muito úteis. A criatividade, tal como a fome, o sono ou o desejo, não têm que estar, nem estão sempre presentes em nós!
    Por vezes sabe tão bem o vazio e não ter nada na cabeça!

    Liked by 1 person

    1. Adoro o silêncio mental, a meditação é prática diária na minha vida. O bloqueio criativo é mais do que esse silêncio, é quando as ideias querem sair mas parece que há algo que as está a travar. E normalmente são condicionamentos ou crenças que não estão relacionadas com o silêncio mental, ou ausência de ideias, é apenas como se a porta de saída estivesse impedida. E há dias que não saem mesmo, e faço como escrevi, espero por um novo dia. Beijo

      Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s